Rádio Rural AM 840

NOTÍCIAS


Concórdia

Projeto que institui a Semana Municipal de Combate ao Alcoolismo Infanto-Juvenil é aprovado por unanimidade

A sugestão é que a semana seja realizada em fevereiro.

Por Luan de Bortoli
17/11/2017 às 09h31 | Atualizada em 17/11/2017 - 13h37

Com o plenário lotado de jovens alunos da Escola Estadual Vidal Ramos Junior, os vereadores de Concórdia, aprovaram por unanimidade de votos o Projeto de Lei Complementar 110/2017, que trata da Semana Municipal de Combate ao Alcoolismo Infanto-Juvenil em Concórdia, que pode ser realizada no período de 18 a 24 de fevereiro de cada ano. 

“A Semana tem por objetivo conscientizar e esclarecer a sociedade, sobretudo às crianças e aos adolescentes, quanto aos males provocados pela ingestão de bebidas alcoólicas, promovendo e estimulando palestras educativas, simpósios e outros, por meio de ampla divulgação junto aos mais diversos meios de comunicação”, afirmou o autor do projeto, vereador Elmo Richardi (PT).

Richardi comentou que existe uma grande pressão entre o grupo onde as crianças e adolescentes estão. “A maior parte das vezes o consumo de álcool começa cedo. Aos 11,12 anos, dentro da própria família, onde se acha bonito tomar aquele gole”, destacou ao afirmar que a escola Vidal será parceira fundamental para a Semana Municipal.

O vereador Claiton Casagrande (PR), que por vários anos foi instrutor do Programa de Resistencia de Drogas e Violência (Proerd), da Polícia Militar, reforçou a importância do projeto. “Quando a família permite ou tolera consumo a situação se agrava. Se formos levar ao pé da letra o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) muitas famílias praticariam o crime diariamente. Além disso, a chance da dependência aumenta quando o consumo começa mais cedo. Ainda temos que lembrar o ciclo de violência que as drogas lícitas e ilícitas provoca”, alertou ao pedir que as crianças e os adolescentes reflitam e conversem com os pais sobre a pressão do grupo de amigos, desejando a todos “boas escolhas”.

O vereador Anderson Guzzatto (PR) também se manifestou aos jovens. Comentou que fez a escolha de não ingerir bebida alcóolica e que isso é uma escolha pessoal de cada um. “Tomei está decisão aos 14 anos. Trabalhei muito tempo com eventos e formaturas, onde o índice de bebida alcoólica para menores era muito grande. O excesso da bebida traz prejuízo e pode ser o acesso para drogas que podem destruir todo um futuro”, alertou ao dizer que o “jovem pode ser diferente e pode se divertir, pode ser feliz, sem beber”.
O projeto passará por segunda votação no dia 23 de novembro. 


Fonte: Assessoria Câmara





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM